Arruda
Ruta graveolens

Ruda
Rue
Rue des jardins

Histórico

Tanto Michelangelo quanto Leonardo da Vinci afirmaram que foi graças aos poderes metafísicos da arruda que ambos tiveram sensíveis melhorias em seus trabalhos de criatividade. Na Idade Média, era muito usada em rituais religiosos, tida como erva de proteção contra feitiçarias. Por este motivo, é usada, até hoje, para espantar “maus olhados”.

Uso terapêutico

A arruda é muito usada na homeopatia para tratamento de machucados, entorses e hematomas. Na medicina alternativa, é indicada para doenças cardíacas. Deve ser usada com muito cuidado, não sendo recomendada para mulheres grávidas.

Observação importante:
Qualquer uso terapêutico deve sempre ser acompanhado por um médico.

Replantio

Para que sua planta continue a crescer e tenha maior longevidade é recomendado o replantio.
Em um vaso maior, em uma jardineira ou em um canteiro de jardim sua planta encontrará uma área de solo mais ampla, favorecendo a continuidade do desenvolvimento de sua raiz.
Respeite as características descritas no quadro abaixo. Elas indicam as condições ideais para o sucesso do replantio.
Luminosidade Água Granulação do solo argiloso      médio      arenoso
Fertilidade do solo Espaçamento
45 cm
Crescimento
55 cm
Ciclo
Perene
Vigor
Vigorosa

Dicas do agrônomo

A arruda é muito apreciada pelos pulgões. Portanto, não é recomendado plantá-la junto às ervas susceptíveis a esta praga como: dill, estragão, manjericão ou hortelã. Caso esses insetos apareçam, molhe a planta com calda de fumo de corda macerado. A arruda afasta as formigas dos canteiros. Quando estiver alta ou muito lenhosa pode ser podada, mas muito cuidado com sua seiva, pois em contato com a pele, pode causar erupções.