Dill/endro
Anethum graveolens

Eneldo
Dill
Aneth

Histórico

Mencionado na Bíblia como produto para pagamento de impostos, o dill era uma erva de alto valor comercial entre os romanos. Os egípcios já conheciam o dill como erva medicinal. Existem referências dos gregos antigos quanto a sua utilização para curar soluços. Na Índia, existe uma longa tradição com o dill, tanto culinária quanto medicinal.

Uso culinário

As folhas do dill dão um sabor suave e agradável à comida pouco temperada como arroz, sopas, saladas e peixes. Suas sementes e folhas são essenciais no preparo de picles e vinagres aromáticos. Também faz parte dos ingredientes do molho curry.

Uso terapêutico

Para uso interno, o dill é indicado para o tratamento de distúrbios digestivos, falta de apetite e indigestão. É um dos ingredientes usados para aliviar cólicas intestinais.

Observação importante:
Qualquer uso terapêutico deve sempre ser acompanhado por um médico.

Replantio

Para que sua planta continue a crescer e tenha maior longevidade é recomendado o replantio.
Em um vaso maior, em uma jardineira ou em um canteiro de jardim sua planta encontrará uma área de solo mais ampla, favorecendo a continuidade do desenvolvimento de sua raiz.
Respeite as características descritas no quadro abaixo. Elas indicam as condições ideais para o sucesso do replantio.
Luminosidade Água Granulação do solo argiloso      médio      arenoso
Fertilidade do solo Espaçamento
25 cm
Crescimento
50 cm
Ciclo
Anual
Vigor
Vigorosa

Dicas do agrônomo

O dill é bastante susceptível ao ataque de pulgões. Para evitar a multiplicação desses insetos, retire e destrua as partes da erva atacada. Não plante o dill próximo ao funcho (erva-doce), pois as duas espécies se cruzam, dando origem a plantas sem uso específico. Deixe-o sempre em lugares iluminados.

Receitas com Dill/endro

Ovos mexidos com salmão e dill
Fish steaks
Omelete às Ervas
Salada de Batata com Dill
Sanduíche de Guacamole
Bolo de Salmão com Dill